29 de novembro de 2009

não faças aos outros

Abandonar alguém significa ser abandonado. Foi mais ou menos isto que me disse enquanto eu acendia mais um cigarro, alisava as meias, puxava o vestido disfarçadamente para baixo, para que não se vissem as ligas. A conversa começou por causa de uma frase, que é o título de um filme ou de um livro, não me recordo e do qual ele, como exemplar pseudo-intelectual de esquerda, nunca tinha ouvido falar. He's just not that into you. Nunca vi, não li, mas lembro-me de ouvir ou ler algures que era sobre os sinais que qualquer mulher deveria reconhecer à primeira para saber que o tipo não está nem aí, que o melhor é arranjar outro, seguir em frente, fazer-se à vida. A frase não me sai da cabeça há uma semana, os sinais estão lá todos. He's just not that into you. Sei que não, que é verdade, e mesmo assim vou ficando, sem insistir, sem aparecer, mas fico à espera. Sentado na sua poltrana laranja, ele diz-me que não sei deixar as pessoas para trás, mesmo que só na minha cabeça, porque isso seria abandona-las e eu sigo a velha máxima do não faças ao outros.

4 comentários:

F disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Pp5eBxU248Y

F disse...

http://blogscraps.blogspot.com/2009/11/how_05.html

Sal disse...

:)

Miguel disse...

Uma máxima que todos deviam seguir mas cada vez mais em desuso...

E, sim, há uma linha que, passada, não há volta a dar-lhe...

Desejos de um bom 2010