28 de setembro de 2009

amanhã não sabemos

© Robert Clyde Anderson

O mundo vira-se de pernas para o ar e percebemos que as ansiedades não são mais do que manias, que a vida é para ser engolida em golfadas, que só interessa o presente, que é aproveitar enquanto podemos, um chorrilho de frases feitas que fazem sentido porque a vida, o dia-a-dia, o lufa-lufa do escritório, as chatices com o chefe, e os desamores têm que ser relativizados quando o choque nos faz questionar tudo. Só temos hoje, amanhã não sabemos.

Sem comentários: